Arrecadação de alimentos vai até dia 20 no @Natal_Shopping Participe da campanha ‘Natal sem Fome’ da ong Ação e Cidadania, leve sua doação.

Quem quiser contribuir com a campanha Natal Sem Fome, da ONG Ação Cidadania, tem até a próxima sexta-feira (20) para fazer sua doação de alimentos não-perecíveis. O Natal Shopping é um dos locais de arrecadação, com pontos de coleta montados no hall dos elevadores do Piso L2, Espaço Família e em frente à Camicado. A meta do Natal Shopping é arrecadar 8,5 toneladas de alimentos.

Sobre a Ação da Cidadania

Nasceu em 1993, formando uma imensa rede de mobilização de alcance nacional para ajudar 32 milhões de brasileiros que, segundo dados do Ipea, estavam abaixo da linha da pobreza. Um movimento social que nasceu em 1993 baseado em um conceito simples: solidariedade, todos nós podemos. Entre 1993 e 2005 foram arrecadadas 30.351 toneladas de alimentos em todo o Brasil, beneficiando 3.035.127 famílias. Entre 2006 e 2010 foram distribuídos 2.300.000 brinquedos e 500.000 livros em todo o país. Criada no auge do Movimento pela Ética na Política, a Ação da Cidadania contra a Fome, a Miséria e pela Vida se transformou no movimento social mais reconhecido do Brasil. Seu principal eixo de atuação é uma extensa rede de mobilização formada por comitês locais da sociedade civil organizada, em sua maioria compostos por lideranças comunitárias, mas com participação de todos os setores sociais.

Tags:, , , ,

Clínica de Psicologia da Estácio de Natal, unidade Ponta Negra, abre vagas para o ano 2020 do atendimento gratuito à comunidade. Triagem até 11 de dezembro.

A Clínica de Psicologia da Estácio de Natal, unidade Ponta Negra, denominada Serviço de Psicologia Aplicada (SPA), está com vagas abertas para atendimentos terapêuticos, como também para o serviço de plantão de escuta psicológica. As sessões são gratuitas e abertas a toda a comunidade, para todas as idades. O SPA está instalado no prédio da instituição, localizado na Av. Engenheiro Roberto Freire, próximo ao Banco do Brasil em Capim Macio.

Para as sessões de terapia é necessário passar por uma triagem e, após o diagnóstico, o paciente será agendado para consulta. A Clínica Escola está realizando a triagem até o dia 11 de dezembro, sem ser necessário agendamento.

Já o Plantão Psicológico é um atendimento de urgência destinado a quem busca um espaço de escuta acolhedora e sem julgamentos. “O principal objetivo é auxiliar na resolução de conflitos emocionais, focando em questões emergentes e/ou urgentes, as quais nem sempre precisam de acompanhamento prolongado”, esclarece a professora de Psicologia Elaine Eufrásio, coordenadora do SPA.

O procedimento no plantão é composto por uma entrevista psicológica e até dois possíveis retornos. Os atendimentos são oferecidos em gabinetes privativos por alunos capacitados para a atividade, devidamente supervisionados pelos professores.

Os atendimentos na Clínica Escola de Psicologia, tanto a triagem quanto os plantões, acontecem às segundas, terças, quartas e sextas-feiras. A Clínica fica localizada no pátio principal da Estácio Ponta Negra.

 

SERVIÇO:

Plantão de escuta psicológica/triagem para terapia

Segundas: 13h às 19h

Terças: 8h às 12h / 13h às 17h / 17h às 20h

Quartas: 8h às 12h / 13h às 20h

Sextas: 13h às 17h

Mais informações: 3642-7531

 

 

Tags:, , , ,

Boulevard Music Hall reinaugura com grandes atrações: Dois Fábios. Fábio Júnior e o padre Fábio de Melo. Dias 29 e 30/11.

Depois de confirmar a turnê de Fábio Jr. na cidade do sol no dia 29 de novembro, às 21h, o Grupo Promove anuncia o show de padre Fábio de Melo que vai se despedir dos palcos no final deste ano. O padre Fábio de Melo se apresenta no Boulevard Music Hall, no dia 30, sábado, às 20h, e neste dia o público ainda terá como atração de abertura da noite o show de padre Nunes, pároco da paróquia de Neópolis que tem arrastado multidões em suas Missas de Cura e Libertação e apresentações musicais de evangelização.

 

Sobre Fábio Jr.
Um dos grandes destaques desta turnê é o cenário, que é revelado através de painéis de led, colunas e elementos que valorizam a estética de forma simples e sofisticada. O conceito da proposta, criativa e versátil, permite que Fábio Jr. utilize a mesma cenografia em todos os shows, independentemente do tamanho, mantendo a dinâmica e beleza do espetáculo com o auxílio da iluminação que permite um resultado visualmente impactante, tornando-se um atrativo a parte.

Além disso, as novidades ficam por conta da escolha do repertório, que contou com a participação do público na escolha do set list, por meio de uma enquete que Fábio Jr. disponibilizou em suas redes sociais.

Fazem parte do repertório, grandes sucessos da carreira do artista, como “Só Você”, “Alma Gêmea” e “Caça e Caçador”, que continuam dando todo o toque de romantismo ao show. Além de músicas que fazem sucesso na voz de outros cantores como, “Tente Outra Vez”, “Dias Melhores” e “Casinha Branca”. Com mais de 30 trabalhos em sua discografia, Fábio Jr. é um artista completo com talento reconhecido também como compositor, ator e apresentador.

A banda que o acompanha nos shows é formada por Amador Longhini no teclado e direção musical de Álvaro Gonçalves na guitarra e violão, Bruno Coppini no baixo, Gustavo Barros na guitarra, Pepa D´Elia na bateria e Aldo Gouveia e Ellis Negress nos vocais.

Sobre Padre Fábio de Melo
O sacerdote católico, cantor, compositor, escritor e professor já lançou 20 discos, 5 DVDS, além de 13 livros publicados e já foi indicado duas vezes ao Grammy Latino, nas categorias de melhor álbum cristão em português e melhor música cristã em português.

 

Neste show de rara beleza, onde a palavra se mistura à canção, Padre Fábio de Melo reúne grandes clássicos da MPB e composições autorais que se tornaram sucessos em sua carreira. “Este show é uma oportunidade de evangelizar, também, a partir da cultura popular brasileira, porque o show traz muitas músicas do nosso cancioneiro. E é uma forma que temos de garimpar Deus nestas situações, nestas oportunidades, nestas manifestações artísticas de compositores que nem tiveram um desejo de falar de maneira religiosa, mas, acabaram falando. E utilizamos tudo isso para unir ao nosso discurso. De alguma maneira, a gente escuta uma música e ela nos devolve à cena, às situações, às pessoas, e esse é o grande desejo do show, eu digo que é uma viagem musical. Porque eu começo resgatando músicas que fizeram parte da minha infância e estão me dando significados diferentes, hoje. E as pessoas acabam se identificando com isso, também”, explica padre Fábio de Melo.

Canções, que deixaram marcas na alma deste poeta religioso, costuram o conceito intimista do show “O Sagrado dos Dias” com histórias de sua própria vida e outras experiências valores especiais. O resultado final desta ‘colcha de retalhos’ é o contato com mensagens de esperança, de amor e fé.

A Banda – Quinteto: Maurício Piassarollo (Teclados), Marcelo Linhares (Baixo), Cláudio Costa (Guitarra/Violão), Wallace Santos (Bateria) e Fernando Pontes (Acordeon).

Sobre Padre Nunes
Do menino que improvisava procissões por diversão ao padre que arrasta multidões em suas Missas de Cura e Libertação e grandes shows de evangelização, padre Nunes fará o show de também no sábado (30).

Padre Nunes ainda na infância tomou gosto pela música, chegou a ganhar dois concursos de “A mais bela voz” promovidos por rádios de Caicó e Mossoró. Entretanto, a ideia de evangelizar através da música surgiu apenas quando já era pároco de Neópolis, nos anos 90. Na época o Papa João Paulo II havia conclamado a Igreja a tentar uma nova evangelização: através de métodos diferenciados. No resto do Brasil, outros padres arrastavam multidões com músicas e coreografias. Foi quando a comunidade começou a incentivar padre Nunes a gravar as músicas que cantava nas missas. Em 1998 veio o primeiro CD, hoje já são três CD’s gravados e uma releitura desta discografia será levada ao novo palco do Boulevard Music Hall.

 

 

SOBRE O BOULEVARD
O Boulevard Music Hall vem sendo totalmente reformado. Teve a climatização totalmente reestruturada, nova configuração de mesas paras shows com capacidade para até 2.800 pessoas sentadas, série de serviços para propiciar a melhor experiência para o público, incluindo, a estreia do buffet La Belle que vem do Rio de Janeiro para atender aos eventos da casa.

“Vamos apresentar o know-how do Grupo Promove. A maior empresa de formaturas do Brasil. Há 25 anos a empresa de formatura mais completa do mercado e que já formou mais de 1 milhão de alunos em todo o Brasil. Estamos presentes nas cinco regiões do país. E estamos sendo muito bem recebidos em Natal e Mossoró”, disse Maurício Correa que além do Boulevard Music Hall, também, terá participação na gestão da nova casa de entretenimento da cidade de Mossoró,  Thermas Hall, que no dia 30 será inaugurada com show de Fábio Jr.

SERVIÇO
Fábio Jr.
Data: 29 de novembro (sexta)
Local: Boulevard Music Hall (Maria Lacerda, 1953 – Nova Parnamirim)
Horário: 21h
Ingressos: entre R$ 150,00 e R$ 250,00 (meia-entrada)
Informações: Bilheteria Digital
—-
Padre Fábio de Melo e Padre Nunes
Data: 30 de novembro (sábado)
Local: Boulevard Music Hall (Maria Lacerda, 1953 – Nova Parnamirim)
Horário: 20h
Ingressos: entre R$ 120,00 e R$ 190,00 (meia-entrada)
Informações: Bilheteria Digital

 

Tags:, , ,

8ª edição do BazArt de Natal começa amanhã na sede da AABB e vai até 6 feira. Exposição dos trabalhos manuais, oficinas e cursos. Confira a programação.

 

O Bazart de Natal  abre suas portas a partir desta terça-feira, 26,  no salão nobre da AABB, à Avenida Hermes da Fonseca, no horário das 12h às 21h. A decoração do ambiente aliada ao encontro de grandes artistas, empresas do segmento do artesanato e a diversidade de produtos ofertados com criatividade e muito amor, além das oficinas, cursos e workshops fazem do evento um marco na cidade.

O evento é coordenado pela artesã Gorete Gurgel que celebra a oitava edição com uma programação bastante diversificada com uma lista de mais de 40 expositores,  oficinas, cursos e oficinas oferecidas por profissionais de empresas parceiras de São Paulo e professores locais.

 

O Bazart é uma opção para os visitantes, não só encontrar os presentes personalizados, mas também, uma oportunidade em  participar de oficinas e quem sabe revelar um talento ou despertar uma terapia ocupacional.

 

 

A artesã Gorete Gurgel, coordenadora do evento, conta a trajetória do BazART que a partir do próprio nome faz uma homenagem à arte. “A ideia começou há oito anos com o propósito de vender  peças das minhas alunas.  E relatou algumas dificuldades, principalmente de pessoas que entram na terceira idade que precisavam de uma oportunidade para expor seus trabalhos. Resolvi fazer uma Mostra coletiva, divulguei quanto pude e cada aluna convidou algumas pessoas. Foi um sucesso’.  No ano seguinte foi realizado na AABB onde completa sua oitava edição, sempre com inovação, novas parcerias, expositores engajados e felizes.

Gorete Gurgel, coordenadora do Bazart de Natal

Uma das presenças, já pelo quinto ano no Bazart, é Ismênia Lourenço. Com peças variadas para realçar uma mesa, ela produz porta-guardanapos, bandejas, histolas e sousplat cujos temas, desde os natalinos, marinhos, florais, frutas e pássaros, são capazes de colorir qualquer ambiente, do simples ao sofisticado, de uma mesa de Natal ao de uma varanda de praia. “A cada ano, procuro ver as tendências, viajo para comprar adereços e levar algo diferenciado, as pessoas adoram uma novidade”, revela a administradora.

 

Outro estande de parada obrigatória é o de Fátima Costa, estreante do Bazart.  Aposentada recentemente, a dentista sempre explorou seu talento das mãos com produtos que já encantavam a família e as amigas. Mas, com uma produção pequena,  pela condição de servidora pública que consumia seu tempo. “Quando apresentei minhas peças para Gorete Gurgel, recebi muitos elogios e com isso renasceu o desejo em  mostrar as pessoas meu trabalho na técnica Amigurumi, os bonecos reborns e os produtos em miniatura.

Bonecas em Crochê, técnica Amigurumi

Será minha primeira experiência em exposição. Já tenho clientes via Instagram, mas tenho a certeza que depois do Bazart, meu network será ampliado e vou ganhar muita experiência.  Uma oportunidade especial para divulgação, comercialização e também interação com os outros artesãos’ concluiu Fátima.

Bebês Reborns.

SERVIÇO:

Quando? de 26 a 29  (de terça-feira à sexta-feira)

Onde? Na sede da AABB (acessibilidade com elevador)

Av. Hermes da Fonseca

Horário? Do meio dia às 21h

Entrada Franca

 

 

 

 

 

Tags:, , ,

Escola de música da UFRN celebra bicentenário da pianista e compositora alemã Clara Schumann, dia 22.

Celebração do bicentenário de Clara Schumann

Na sexta-feira, dia 22 de novembro, às 19h, a Escola de Música da UFRN celebra uma das maiores compositoras e musicistas da história, Clara Schumann, que completou 200 anos de nascimento em 2019. Cinco musicistas e uma musicóloga reúnem-se para apresentar este recital especial, que terá um repertório variado, com seus Seis Lieder Op. 13 (para soprano e piano), seus Romances Op. 22 (para flauta e piano) e seu Trio em sol menor Op. 17 (para violino, violoncelo e piano).

Parte da tradicional Semana da Música e organizado pela educadora musical e pianista Nan Qi, professora da Escola de Música da UFRN, o recital conta com a participação da violinista Elisa Fukuda (Faculdade Cantareira), da soprano Elke Riedel (UFRN), da flautista Felícia Coelho (UFPE), da violoncelista María Bellorín (UFRN) e da musicóloga Roe-Min Kok (McGill University, Canadá), a qual apresentará uma breve palestra pré-concerto sobre a compositora e suas peças. Este recital é o primeiro de uma série de recitais dedicados a compositoras, que será continuada em 2020.

Saiba mais sobre Clara Schumann

Uma pioneira em sua vida, a trajetória pessoal da alemã Clara revela, todavia, alguns paradoxos. Educada na música por seu pai, um renomado pedagogo do piano, ela se apaixonaria e se casaria com Robert Schumann, outro pupilo de seu pai, à revelia deste, que tentou de toda maneira impedir que este casamento se concretizasse. CLara quebrou vários paradigmas da sociedade de sua época – fazendo várias turnês profissionais pela Europa.

Quando Robert e Clara se casaram, tinham a princípio a ideia de que seriam um casal de compositores, porém Clara depois deixaria contaminar-se pelas atitudes negativas da sociedade do século XIX em relação à criatividade feminina, deixando seus dons criativos definharem. No início de sua carreira, ela tinha composto obras para agradar a seu pai, porque todos os virtuoses da época faziam isso. Nos anos que se seguiram ao seu casamento, quando já não era mais essencial que pianistas incluíssem obras originais nos seus programas, o deleite de seu marido pelas suas realizações criativas deu-lhe uma razão para continuar, mesmo que esporadicamente. Depois da morte deste, porém, quando ela tinha apenas 30 anos de idade, ela passou a dedicar-se integralmente à promoção da música de Robert em seus concertos e ao apoio à sua família, não continuando suas atividades como compositora.

Anna Beer, autora do livro “Sounds and Sweet Airs: The Forgotten Women of Classical Music” [Sons e Canções Doces: As Mulheses Esquecidas da Música Clássica], descreve como a vida de Clara parece nesse ponto representar o amor altruísta e dedicado que era esperado de uma figura feminina no século XIX, o qual deixava pouco espaço para o ego impulsionador que era esperado de um compositor. “Olhando para as cartas, os diários e os arquivos de Clara, você simplesmente vê esse atrito”, ela explica. “Você vê, toda semana, a diminuição de Clara Schumann como uma pessoa criativa, e um tipo de opressão sutil acontecendo, tanto domesticamente como fora de casa. O casamento começou com grandes ideais de ambos os lados – que ambos seriam compositores juntos”, continua Beer. “Mas você tenta ter dois pianos na mesma casa. Você tenta ter um filho a cada ano e ainda manter duas carreiras. Nós ainda não estamos fazendo isso muito bem no século XXI. Não é de admirar que não tenha funcionado em Leipzig no início do século XIX”. A autora comenta como Clara Schumann, como pianista, foi fundamental para cimentar a tradição alemã de Bach e Beethoven, trazendo as obras de seu marido para juntarem-se a esse panteão, sendo que uma das grandes ironias da vida de Clara Schumann é justamente que ela ajudou a fortalecer uma tradição que a excluiria como compositora.

Entre as obras apresentadas neste recital, o Trio de Clara Schumann foi escrito no verão de 1846, em um período difícil de sua vida. Ela tinha acabado de se mudar de Leipzig, estado da Saxônia para Dresden,  a capital, porque Robert sofrera seu primeiro colapso mental grave desde o casamento deles. Tinha três filhos pequenos e estava grávida de seu quarto filho, cujo nascimento seria apenas 11 meses após o nascimento do bebê anterior, não tivesse ela sofrido um aborto espontâneo antes disso. No meio de todo esse drama, ela encontra vazão para suas emoções na criação deste Trio, de grande beleza e expressividade.

O conhecimento da história de Clara certamente permite a criação de maiores ressonâncias entre sua música e o público do século XXI, ao mesmo tempo em que podemos apreciar como ela era bem avançada para sua época, em um recital criado em colaboração com cinco musicistas e uma musicóloga, cada qual trazendo suas próprias histórias e identidades para estabelecer um diálogo com esta pioneira da música.

Tags:, , , ,

Filme produzido por alunos das oficinas da Mostra de Cinema de Gostoso vence prêmio no Festival de Los Angeles . A mostra será realizada de 8 a 12 de novembro.

Filme “O grande amor de um lobo” foi premiado em Los Angeles — Foto: Reprodução

O documentário curta-metragem potiguar “O grande amor de um lobo” ganhou o prêmio de “Reconhecimento Especial” no 12º Los Angeles Brazilian Film Festival, em Los Angeles (EUA). O filme foi produzido pelo coletivo Nós do Audiovisual, que é resultado das oficinas desenvolvidas pela equipe da Mostra de Cinema de Gostoso, na cidade de São Miguel do Gostoso, no litoral Norte.

Imagina que Gostoso ver filmes de qualidade, na praia, e, ainda ter uma lua cheia de testemunha…

O curta já havia ganhado também a premiação de aquisição do Canal Brasil no Cine Ceará, e deve começar a ser exibido no canal de TV nos próximos meses. O documentário traz a relação de Adrianderson Barbosa com o cinema. Morador de São Miguel do Gostoso, ele tinha o sonho de escrever uma história para ser exibido nas telonas. “O grande amor de um lobo” conta como foi, para Adrianderson, tirar essa ideia do papel.

Além destas premiações, o coletivo gostosense também levou, com documentário “Filho de Peixe”, o direito de exibição na TV Cultura no Festival Internacional de Curtas de São Paulo.

Os integrantes do coletivo Nós do Audiovisual participam das oficinas da Mostra de Gostoso, que acontecem desde 2013 no município. O projeto junto à comunidade de São Miguel do Gostoso realizou, em cinco anos, 45 oficinas, que resultaram na produção de 19 curtas-metragens, contando com os que serão exibidos no festival deste ano, e também na criação do coletivo.

Jovens de São Miguel do Gostoso aprendem sobre cadeia produtiva do audiovisual — Foto: Heco Produções

Os cursos são de formação técnica e audiovisual e têm como objetivo proporcionar o domínio de toda a cadeia da produção cinematográfica. Além de produzirem filmes, os participantes também trabalham nos bastidores da mostra, anualmente.
De acordo com Eugenio Puppo e Matheus Sundfeld, diretores-gerais da mostra e coordenadores desses cursos, participam do trabalho jovens com idades entre 17 e 22 anos, que normalmente estão em fase e conclusão do ensino médio. Os dois contam que, no ano passado, uma nova turma foi aberta, com mais 43 novas vagas. A primeira turma, em 2013, teve 54 alunos.

“E os alunos que já participavam do projeto seguem atuando, inclusive auxiliando os professores nas oficinas, trocando conhecimento com os novos. Isso é muito bacana”, pontua Puppo.

Durante esse processo, os estudantes participam de aulas de linguagem audiovisual, história do cinema mundial e brasileiro, produção cultural, animação, roteiro, vídeo, entre outras áreas relacionadas à sétima arte, com exibições de filmes e discussões sobre os temas. “Sempre com professores gabaritados, referências. Depois que eles entendem o que é o cinema, identificamos as aptidões de cada um dentro da produção audiovisual”, explica Eugênio Puppo.

A estudante Maria Clara da Silva, de 18 anos, entrou para o grupo no ano passado e participou, logo no primeiro ano, da produção de quatro curtas. Em dois como assistente de direção, em um como cenógrafa e no outro na produção.

Em junho deste ano, teve uma reportagem produzida junto com uma colega do coletivo selecionada pelo projeto GloboLab. Passou uma semana acompanhando o trabalho das equipes do programa Profissão Repórter, na TV Globo. “Experiência incrível”, resumiu.

Para a Mostra de Gostoso de 2019, ela levará um curta-metragem que assina o roteiro e a direção. “Antes do projeto eu me interessava por cinema, sempre gostei. Pensava em atuar, dirigir… mas nunca tinha tido a oportunidade. E agora eu me descobri escrevendo, dirigindo”, relata.

“Formar cidadãos”

Eugenio Puppo conta que, em 2012, quando a Heco Produções chegou para ministrar as primeiras palestras em São Miguel do Gostoso, encontrou um ambiente em que as pessoas estavam acomodadas, muitas sem uma atividade remunerada.

Matheus Sundfeld e Eugenio Puppo são os diretores-gerais da Mostra de Cinema de Gostoso — Foto: Gustavo Farache/Assessoria

Segundo Puppo, a Mostra de Gostoso tem feito com que a comunidade se movimente. “Muitos dos participantes foram para a UFRN, ou para o IFRN. Impressiona a força que o cinema trouxe, mesmo para quem não seguiu na área. Queremos fazer com que eles entendam o seu papel na sociedade e queremos formar cidadãos”.

Ainda de acordo com o diretor-geral da mostra, as oficinas permitiram que alguns dos alunos conseguissem profissões através dos conhecimentos adquiridos. Foi o caso de Everton Cardoso, de 31 anos.

Everton Cardoso (ao centro) participa dos cursos da Mostra de Gostoso desde 2014 — Foto: Heco Produções

Ele começou a participar das oficinas da Mostra de Gostoso em 2014 e, de lá até aqui, atuou em 18 dos 19 curtas-metragens produzidos, em diferentes funções. Porém foi na sonoplastia e projeção de imagem que se encontrou. Atualmente, trabalha no Centro Cultural de São Miguel do Gostoso realizando esse trabalho. “É a área que eu gosto, e uma profissão que aprendi nas oficinas”, conta.

Neste ano, a 6ª Mostra de Cinema de Gostoso exibirá, entre os demais filmes, mais quatro produções inéditas do coletivo Nós do Audiovisual. O festival vai acontecer entre esta sexta-feira (8) e a terça (12).

Fonte G1/RN

Tags:, , , , , , ,

Amor é um sentimento que move um grupo de voluntárias. Confira o trabalho dessa turma que se mobiliza para atender uma clientela muito especial.

Só sabe o quanto é bom receber carinho, um abraço ou apenas um sorriso, quando de fato precisa, isso é fato. E  por uma enfermidade? Receber amor e a solidariedade podem ser remédios poderosos para ajudar no tratamento.  E, nesse intuito de fazer o bem, chegar perto e diminuir essa dor, é que um grupo de mulheres formam uma entidade chamada Oficina dos Anjos, uma turma que não brinca em serviço, elas são voluntárias e produzem turbantes, faixas para cabeça, bonés, além de cumprirem visitas semanais em hospitais e clínicas para distribuir adereços aos pacientes em tratamento quimioterápico.

E, para o Outubro Rosa, uma verdadeira força tarefa foi feita para que a demanda fosse entregue. Para isso contou, além da equipe que participa das oficinas, com  anjos que trabalham em silêncio, em suas casas, deixando seus afazeres para se dedicar à produção dos adereços.

Voluntárias durante oficina de produção dos turbantes.

É o caso de Ilza Miranda Pereira que conheceu a Oficina através da irmã, Ilma. Por razão de cuidados especiais dedicados ao seu marido, vítima de AVC, ela não participa presencialmente, mas se encantou pelo projeto e ajuda através dos seus trabalhos de crochê. “Sempre quis me envolver em alguma atividade filantrópica e me identifiquei muito com a proposta da Oficina.  Para o mês de outubro fiz faixinhas e as toucas para as crianças, mas sempre estou a fazer as rosinhas de crochê. Fico muito feliz em produzir e destinar um pouco do meu tempo, mesmo em casa, para fazer o bem para pessoas necessitadas” finalizou a artesã, natural de Taipu, radicada em Natal e já aposentada do ramo de lembrancinhas de casamento, quinze anos e aniversários.

Illza Câmara, um exemplo de doação.

Touquinhas de crochê confeccionadas por Ilza doadas às crianças.

Fátima Costa também faz as rosinhas para enfeitar os turbantes. Ela já teve um câncer e está curada há mais de 20 anos. Viu na Oficina uma oportunidade de fazer o bem. “Não participo das visitas, mas, mensalmente, vou às reuniões e também produzo em casa para aumentar a quantidade a ser doada. “Fico muito feliz e realizada em amenizar o sofrimento de alguém e dar alegria a quem está passando pelo tratamento” enfatiza a dentista aposentada, hoje, artesã.

Fátima Costa dobrou a produção para atender a demanda do Outubro Rosa, Gratificada.

Rosinhas em crochê, adereço para os turbantes.

Lícia Melo é outro exemplo de superação e que mantém uma produção mensal para doação. São xuxinhas e faixinhas destinadas às crianças, além das outras contribuições aos turbantes. Esteticista e artista plástica, Lícia compartilha seu tempo na produção em casa e nas oficinas.

Lícia se dedica à produção de xuxinhas e faixinhas, além das rosinhas de crochê.

 

 

A xuxinhas são uma das peças que Lícia produz para a doação.

A perda de cabelo durante o tratamento da quimioterapia mexe muito com a autoestima, principalmente nas mulheres, mas a cada visita, as voluntárias doam e recebem muito amor. São momentos para trocar afeto, dar uma palavra de fé e de alegria. Os bastidores da Oficina também conta com muitas histórias de mulheres que passaram pela dor do câncer, estão curadas e, motivadas pela causa, ajudam a quem precisa ter coragem e esperança para enfrentarem os ciclos da quimioterapia. “Os turbantes são instrumentos para a abordagem, o início de uma aproximação.  “Contamos com a parceria de enfermeiras e assistentes sociais que nos conduzem aos pacientes, colaboram e sabem da importância do nosso contato para a recuperação” explica Vanilde, Coordenadora da Oficina.

Turbantes em processo de confecção.

A coordenadora da Oficina Vanilde Alves Arcila criou a oficina há três anos, com a adesão em família, sua filha Rafaela, a irmã,Teca, além da neta Mariana que alimenta o Instagram.  Através do grupo de whats app, ela mantém a interação com as voluntárias. “Tudo começou em família e fizemos convites às amigas que chamaram outras e, pelo Instagram, somaram pessoas que simpatizaram com a proposta.  Cada uma tem seu talento e sua disponibilidade de horário para participar das atividades.  Agem através da fé e do amor” afirma Arcila. Uma ou mais oficinas são realizadas durante o mês e são nesses encontros que reúne e une o grupo. Uma confraternização com um lanche partilhado por todas, aproxima e garante muita alegria. Quem participa do grupo já reconhece que entrou para doar e recebe muito mais, esse resultado ratifica nossa missão de Fazer o Bem, nos faz um Bem Maior” reconhece a coordenadora.

Vanilde Arcila recebeu a homenagem da vereadora Nina Souza na Câmara Municipal de Natal, no último dia 10.

A ideia da oficina iniciou na Paraíba através de Tatiana Sousa, residente em João Pessoa. Ela veio implantar em Natal, ajudar a Vanilde a montar o grupo para desenvolver o trabalho. Hoje, a nuvem de anjos está em atividade em algumas cidades do Nordeste como  Salvador-BA (2016), Natal-RN (2016), Feira de Santana-BA (2016), Brasília-DF (2016), Recife -PE (2017), Pau dos Ferros-RN (2017), Fernandópolis-SP (2017) e Fortaleza (2018).

 

 

 

 

 

 

 

 

Tags:, , ,

Salão de Beleza amplia seus serviços e oferece cuidados para a alma. Num só lugar: Corpo, unhas, cabelo e mente.

Muitas vezes no salão de beleza os clientes extravasam as emoções, mágoas e compartilham alegrias. Os profissionais podem até nem opinar, mas, pelo menos, os escutam e os deixam mais leves.

E foi nessa perspectiva de chegar bem próximo ao público que gosta de se cuidar, que a Terapeuta comportamental, Fátima Bongestad resolveu montar seu espaço num Salão de Beleza, a fim de oferecer um serviço diferenciado para as pessoas que desejam aliviar suas tensões e conflitos.

Fátima, psicóloga

“A sociedade vive uma realidade pela qual o excesso de obrigações faz com que as pessoas se desorganizem mentalmente e fragilizem suas emoções”, cita a psicóloga. Despertá-las para uma parada interior é necessária.  O desejo de Fátima é ficar perto de sua clientela para uma abordagem corpo a corpo e veio  somar com a estratégia da empresária do Salão, Sanny Medeiros, há quatro anos, no bairro de Lagoa Nova, de inovar e oferecer mais um serviço para agradar e acolher sua clientela.

Sanny enfatiza a tendência das empresas em fazer parcerias para agregar valor ao negócio já vistas através das diversas teias no mercado. E essa será mais uma a somar com as composições já praticadas com sucesso.  “Trazer a terapia para o salão tem sido um avanço para as clientes perceberem o quanto a autoestima deve ser cuidada além da aparência externa”,  a beleza exterior não é tudo, finaliza.

A psicóloga explica como funciona o atendimento. “São realizadas dinâmicas pelas quais o paciente consegue enxergar sua estrutura de comportamento para entender o processo de orientação para uma nova postura diante das dificuldades”.  A abordagem é de uma forma muito natural, no próprio ambiente para que os cuidados relativos ao corpo e cabelo sejam ampliados para a alma, à morada interior.

Fátima também tem suporte de uma equipe multidisciplinar. “A terapia é feita a partir de uma avaliação inicial e, se tiver demanda para uma intervenção de outro profissional, como um médico da mente, a indicação é feita e tem todo o acompanhamento’ relata a psicóloga que já iniciou suas atividades.   Fátima além de psicóloga é assistente social e atuou por muito tempo no Rio de Janeiro.

Para Sanny, empresária da beleza,  não é só o cuidado com o cabelo, pés, mãos e corpo, as pessoas precisam de muito mais.  Aqui no Salão, ofereço muito conforto, uma equipe muito bem treinada, produtos de qualidade, localização e estacionamento. Os clientes também desejam praticidade, tudo num só espaço para abreviar os deslocamentos, afirma Sanny. E completa “Com chegada da Terapia Comportamental, o salão também investiu e promove a melhoria no atendimento através da mudança de postura dos funcionários. Fátima veio somar, agregar, finaliza Sanny, cabeleireira e maquiadora, além de cliente do novo serviço.

 

Sanny Medeiros, proprietária do salão

Tags:, , ,

Perceba se quem está ao seu lado precisa de ajuda. Setembro Amarelo, campanha mundial de conscientização sobre o suicídio.

Dizem que o amarelo é a cor da amizade. Não podia ser diferente o tom  da campanha da mundial para a prevenção do suicídio. Segue como sugestão, uma das iniciativas da CVV. Dicas importantes para ajudar quem precisa ser ouvido. Você pode ajudar.
Se outubro é o mês pela prevenção do câncer de mama, representado pela cor rosa, e novembro é pela prevenção de doenças masculinas, com a cor azul, em Setembro adotamos o Amarelo para colorir o movimento mundial para conscientizar a população sobre a realidade do suicídio e mostrar que existe prevenção em mais de 90% dos casos, segundo a Organização Mundial da Saúde.

O suicídio é considerado um problema de saúde pública e mata 1 brasileiro a cada 45 minutos e 1 pessoa a cada 45 segundos em todo o mundo. Pelos números oficiais, são 32 brasileiros mortos por dia, taxa superior às vítimas da AIDS e da maioria dos tipos de câncer. Pelo menos o triplo de pessoas tentaram tirar a própria vida e outras chegaram a pensar em suicídio. Apesar de números tão alarmantes, o assunto ainda é tratado como tabu. Evita-se o assunto, o que só colabora para seu aumento dos casos, pois as pessoas muitas vezes não sabem que podem procurar ajuda.

Mas como buscar ajuda se sequer a pessoa sabe que ela pode ser ajudada e que o que ela passa naquele momento é mais comum do que se divulga e ela imagina? Ao mesmo tempo, como é possível oferecer ajuda a um amigo ou parente se também não sabemos identificar os sinais e muito menos temos familiaridade com a abordagem mais adequada?
O câncer, a AIDS e demais doenças sexualmente transmissíveis (DSTs), há duas ou três décadas, eram rodeadas de tabus e viam o número de suas vítimas aumentando a olhos nus. Foi necessário o esforço coletivo, liderado por pessoas corajosas e organizações engajadas, para quebrar esses tabus, falando sobre o assunto, esclarecendo, conscientizando e estimulando a prevenção para reverter esse cenário.
Por essa razão, o CVV – Centro de Valorização da Vida, uma entidade sem fins lucrativos que atua gratuitamente na prevenção do suicídio desde 1962, está engajada e promovendo atividades neste  movimento iniciado há dois anos no Brasil, chamado Setembro Amarelo. A ideia é divulgar a causa intensamente durante o mês, já que no dia 10 é celebrado o Dia Mundial de Prevenção do Suicídio, tendo como parte fundamental a iluminação ou coloração de amarelo de locais, construções ou monumentos e, ainda, a colocação de laços amarelos nas fachadas de prédios públicos e privados para lembrarmos que devemos, sim, falar sobre a prevenção do suicídio.

Em 2015, foram iluminados locais como o Cristo Redentor (RJ), o Congresso Nacional (DF), o estádio Beira Rio (RS), além outros locais que podem ser conhecidos em nosso site (www.setembroamarelo.org.br) e Fanpage (facebook.com/setembroamarelo).

Todas as pessoas, empresas e instituições podem aderir à campanha Setembro Amarelo, com algumas medidas simples durante este mês, dentre as quais sugerimos:

a. Colocação em sua fachada do laço amarelo, símbolo das campanhas de prevenção, e/ou iluminação do prédio com a cor amarela;
b. Fixação de cartazes da campanha “Falando Abertamente” em locais de circulação do prédio (material disponível aqui);
c. Divulgação do banner da campanha em site institucional, incluindo link para o site do Setembro Amarelo;

d. Divulgação da campanha em redes sociais ou páginas pessoais;
e. Distribuição da cartilha “Falando Abertamente Sobre Suicídio”, elaborada pelo CVV – Centro de Valorização da Vida, disponível aqui (como opção, pode ser acompanhada de fita amarela para a roupa ou pulso, estimulando a adesão à campanha);
e. Confecção e distribuição de faixas, camisetas, marcadores de página, folders, adesivo, etc (disponível aqui).
Todos que mandarem fotos de suas iniciativas para a Fanpage do Setembro Amarelo (https://www.facebook.com/setembroamarelo) poderão ver o material compartilhado no Facebook. Algumas dessas fotos serão enviados ao IASP, Associação Internacional de Prevenção do Suicídio, que vai reunir as principais ações ao redor do mundo.Ajude a prevenir o suicídio, afinal, falar é a melhor opção!

Via Eixo Comunicação

Precisando conversar? Acesse www.cvv.org.br e veja as formas de atendimento disponíveis. 

Tags:, , , ,

Espetáculo da Turma da Mônica se apresenta no Teatro Riachuelo. Clientes Cabo Telecom têm 50% de desconto.

A Turma da Mônica vai agitar o público potiguar no Teatro Riachuelo neste fim de semana com a superprodução circense-musical Brasilis, um espetáculo que faz uma viagem pelas raízes brasileiras.

O show apresenta, com muita tecnologia e efeitos especiais, as diferenças culturais e a história do país com a participação de um elenco bem harmonizado entre  bailarinos e artistas circenses. Em Natal serão quatro sessões, na sexta-feira (30) às 16h e 19h30 e, no sábado (31), às 15h e 18h30. O público, além de conferir o espetáculo,  vai navegar em alta velocidade, gratuitamente, através do WiFi disponibilizado pela Cabo Telecom no Teatro.

Os clientes da empresa também têm o benefício de comprar os ingressos com 50% de desconto mediante a apresentação da última fatura paga no guichê do Teatro Riachuelo.

Tags:, , ,