Amanhã, lançamento do livro de Evelyne Furtado. ‘Pausa para subir’, relatos da simplicidade da vida regados a sentimentos da alma.

‘Pausa para Subir – Crônicas da Vida’ é 0  livro de crônicas, contos e poemas da psicóloga Evelyne Maria Barros Furtado.  O lançamento será nesta terça-feira, 30, às 18h, no Bicicleta Café (Rio Center Mega Store) em Lagoa Nova.

Evelyne é aposentada como assessora jurídica, atua como psicóloga e faz Psicánalise no Fórum Nacional do  da Rede Diagonal.

 

 

A Obra

Os textos tratam do cotidiano da autora, alguns já publicados no jornal de Mossoró, Gazeta do Oeste e na coluna ‘À flor da pele do blog Comunique-se, escritos entre 2003 a 2012. Palavreando, O que tem para hoje? São exemplos que afloram com muita espontaneidade e dão ritmo à proposta das crônicas: simplicidade.  Já o título da publicação, remete à uma das crônicas de um momento de mudança pelo qual a autora passou e registrou. Deixava a carreira jurídica para ingressar no curso de Psicologia.

A obra tem 168 páginas, ilustrada com imagem de uma marinha em óleo sobre tela do artista plástico Nival Mendes,  apresentação do jornalista e escritor Gustavo Sobral e prefácio da escritora Zélia Maria Freire.

 

Tags:, , ,

II edição do Vida Mais RN começa amanhã e vai discutir os Desafios de como conquistar um Envelhecimento Ativo. Inscrições gratuitas.

É crescente o número de pessoas que aumenta sua perspectiva de vida. A longevidade já é tema de discussão e de eventos que reúne especialistas para abordar os assuntos pertinentes a como viver por muito tempo com qualidade de vida. Em Natal, acontecerá pela segunda edição, a feira Vida Mais RN, com o propósito de desmistificar a ideia de envelhecimento como aspecto limitador de uma vida com autonomia, disposição, saúde e bem-estar.
A psicóloga Silvana Vieira, idealizadora da feira, estima que mais de duas mil pessoas, a exemplo do ano passado, passem pelo evento que reunirá vários segmentos voltados para prestar serviços a esse público que só cresce a cada ano.

A Feira vai acontecer nesta 3ª e 4ª feira no Hollinday Inn do Arena das Dunas e contará com estandes com empresas de serviços e produtos voltados para esse mercado que tende a propiciar uma vida de qualidade para a pessoa idosa. Palestras, paineis, debates e oficinas com especialistas farão parte da programação com assuntos relacionados ao cotidiano das pessoas que têm mais de 50 anos.

As inscrições são gratuitas.

Tags:, , , , ,

A fé é lâmpada para nossos pés e luz para nosso caminho. Bom dia via Albany Dutra no ar.

Irmãos, a fé é um modo de já possuir o que ainda se espera, a convicção acerca de realidades que não se veem…Hb 11, 1. O Justo vive pela fé! Essa é uma certeza para aqueles que creem.img_1252

A fé é lâmpada para nossos pés, e luz para nosso caminho. É ela que nos sustenta diante dos sofrimentos,
alivia as nossas dores, e nos faz tudo suportar, pois acreditamos nas promessas de Deus. Quando se tem fé, apresenta-se a Deus a sua necessidade, tribulação ou enfermidade, e já começa-se a agradecer a Ele a vitória que virá! A fé é sinal de cura, salvação e libertação. Quantos testemunhos temos no evangelho, na vida das pessoas, e na vida dos Santos… Lembrando, que Deus testa a nossa fé, exigindo-nos renúncia e sacrifícios. Abraão, que foi o pai da fé, não negou a Deus o sacrifício do seu filho único, crendo, que Deus nunca deixara de cumprir uma promessa. Por isso,foi testado até às últimas consequências, até Deus intervir, poupando a vida do seu filho.

Fé e amor são complementos. Deus fez a maior oferta de amor que já existiu, ao dar o seu próprio filho Jesus, entregando-o a morte de Cruz, em expiação dos nossos pecados. Quantos exemplos de fé conhecemos. Pessoas de várias condições,crenças …curadas de enfermidades que a medicina e a ciência não explicam. E aqueles que se tornaram mártires ou Santos, por terem aceitado passar com serenidade pelos sofrimentos, ou doaram a sua própria vida, pela fé professada num Deus,que promete-nos a vida eterna após a morte! Para provar os frutos da fé, temos que ter obras. Temos que abrir o coração ao amor, e amar indistintamente o pobre, o excluído, o marginalizado…Fé é nunca perder a esperança, nunca desistir, nunca deixar de acreditar naquilo que não se vê. Quem tem fé, dá passos no escuro, sabendo que Deus vai colocar o chão debaixo de seus pés,e os conduzir à vitória! Por fim; Fé é crer no IMPOSSÍVEL! Bom dia a todos!               Via Albany Dutra 18/02

Tags:, , , ,

O Bom dia de Albany Dutra fala da renúncia e no prazer da opção em seguir Jesus. Confira!



Naquele tempo, chamou Jesus a multidão com seus discípulos e disse: “Se alguém me quer seguir, renuncie a si mesmo, tome a sua cruz e me siga.Mc 8,34. Seguir Jesus é um modelo de vida, difícil, mas surpreendente e prazeroso quando tomamos essa decisão em nossas vidas. Seguir Jesus é caminho sem volta, é escolher entre o meu querer, o meu comodismo, o meu estado de liberdade, para me submeter a um Deus que vai formar em mim um homem(mulher) novo. Que vai me moldar conforme a sua vontade. Que vai me fazer aceitar os contrários e enxergar os avessos da vida. Renunciar a si mesmo, é colocar o meu coração de encontro ao de Jesus, me tornando submisso a um amor, que vai me resgatar das minhas trevas interiores, me libertando de meu orgulho, vaidade, prepotência, autossuficiência, arrogância… É renunciar a prazeres em troca de virtudes. É renunciar a minha falta de paciência, meu estresse, minha vida de falsidades e mentiras, para seguir conselhos, para exercitar sabedoria, dons, carismas, que vão controlar meus impulsos, que vão resgatar minha dignidade, que vão me formar na escola do sofrimento, através da prática diária da fé, do perdão, da justiça, da verdade, da caridade, e do amor. Ao renunciar a si mesmo, carrego comigo a minha cruz. Esse peso que Deus coloca em meu ombro é sinal de minha salvação, pois é a Cruz que vai servir de ponte, para me levar a atravessar o abismo que separa a minha vida velha, de vícios e pecados, para uma vida que não vai me tirar sofrimentos, mas vai me ensinar a sofrer e a descobrir que o amor de Deus é quem me proporciona, enxergar através das lágrimas, arrancar sorrisos aonde há dor, provar milagres aonde paira o impossível. Me dando a paz e a alegria de olhar para trás e ver que valeu a pena ser moldado a imagem e semelhança de um Deus, que me revela, que o segredo da felicidade está em amar e deixar ser amado por Ele. Pois o seu amor, vai além das minhas possibilidades e fraquezas humanas! Bom dia a todos!                      Via Albany Dutra em 17/02.

Tags:, , , ,

Paulo, um seridoense abençoado por Deus. Emoção por encontrar uma criança tão feliz com tão pouco.

Meio dedo de prosa e uma lição para eu encadernar um capítulo no livro da minha vida. Paulo Sérgio apareceu de repente em minha frente trajando uma roupa social com gravata e sapatos, ele atendia ao meu pedido onde poderia tomar um cafezinho naquele posto de gasolina na cidade de Currais Novos.

A temperatura da cidade exigia um sorvete, mas como de costume, quando se aproxima três e meia da tarde, o relógio da saudade desperta para uma parada, hábito herdado de família. Minha avó Déborah reunia quem tivesse em casa para um café, acompanhado de bolo ou tapioca.img-20161202-wa0030

Paulo Sérgio Vitor da Silva, 8 anos, é um menino de sorriso largo, vestido de gente grande que se destaca no pronto atendimento para os visitantes que param no posto de gasolina e mais uma loja de conveniência. Um ser humano enviado para pensarmos que o mundo ainda tem jeito e existem pessoas muito simples com fé em Deus e dispostas para mudar a realidade em que vive.

Paulo mora  com o pai deficiente. Segundo o garoto, os pais são separados. Sua mãe mora em Bodó, distrito de Currais Novos,  e os oito irmãos moram com a avó na cidade,  mas ele ficou para ajudar ao pai nas tarefas domésticas. Estuda no 1º ano, na Escola Municipal Trindade Campelo, no centro cidade e ‘trabalha’ no posto ajudando aos taxistas e visitantes.

Para o futuro, ele pensa em trabalhar como policial ou motorista da Samu. ‘Quero trabalhar ajudando as pessoas, quero dirigir uma ambulância e salvar vidas”, diz ele quando indagado pela profissão a seguir.

Orgulhoso de ter sempre um trocado na carteira para manter a casa, ele diz que ainda ajuda nas tarefas domésticas, pois seu pai tem uma perna amputada, se locomove apenas em cadeira de rodas.img-20161212-wa0031

A satisfação em conversar e mostrar que é feliz pela vida que leva é revelada através do seu sorriso e da convicção que Deus o protege. Ele diz que brinca com os amigos, mas o que gosta mesmo de fazer é de ir ao posto para ajudar.

Segundo o caixa da Conveniência, o ‘look’ de Paulo foi doação de uma funcionária que também o enxerga com um carinho especial, acompanha o seu rendimento escolar como outros funcionários e clientes que gostam e incentivam para que ele não abandone os estudos.

Essa experiência me rendeu uma coragem imensa naquele momento.  Paulo não sabe o impacto de suas palavras nas nossas mentes e corações. É, nossas mesmo, porque não estava só, ainda tive uma testemunha, minha amiga Larissa Rios, que me acompanhava na cidade onde fomos realizar um evento.  Ela também foi escolhida para compartilhar desse momento mágico que rendeu muita emoção. Saímos cheias da Graça do Espírito Santo. Cada uma com seus problemas, mas, certamente, bem mais leves.paulo-e-larissa

Não teve elixir melhor do que conhecer um pouco da história daquela criança que se destaca pelo entusiasmo em viver.  O calor de um cafezinho aqueceu o coração para um desejo ardente de enxergar o outro, exercício muito bom para amenizar nossas dores  e desviar nosso olhar para o que realmente vale à pena.

 

 

 

 

Tags:, , , ,

Já provou água aromatizada? Além de deliciosa, uma ótima oportunidade de largar os refrigerantes.

Uma ótima ideia para preparar bebidas refrescantes, de sabor suave e agradável, além de saudáveis, sem adição de açúcares e adoçantes, são verdadeiramente desintoxicantes e não engordam.

Veja no  link deliciosas receitas de como preparar as receitas de água aromatizadas com frutas, uma alternativa natural e gostosa principalmente ár quem quer eliminar os refrigerantes ou ainda para quem tem dificuldade de ingerir água.

 

infused_waters-copia

Via GreenME

Tags:, , , ,

Milagres existem! Propagar o quanto o poder da Fé em Deus é indispensável para mover nossa vida. Há 6 anos sei bem disso.

O sonho de voltar a surfar se realizou

O poder de Deus é presente a cada instante através das mínimas situações que vivenciamos e sentimos, a partir do nosso próprio despertar, basta que percebamos que logo ao acordar  estamos ganhando um presente. Um novo dia.

Um desabrochar de uma orquídea, o nascimento de uma criança, um olhar apaixonado, ou até mesmo o sorriso das pessoas do campo quando a perspectiva de ter um caneco d’água vem dos desenhos das nuvens feitos pelos anjos do Senhor, são outros exemplos de como devemos enxergar a Deus nas coisas simples da vida.

Mas tem ainda as provações de vida, as turbulências, as provocações pelas incertezas e das noites traiçoeiras. Essas são verdadeiramente as provas vivas da fé, da esperança e da confiança que temos um DEUS que cuida, nos ouve e faz, ao tempo dele, o que é melhor para nossas vidas.

E hoje venho agradecer, louvar e bendizer a esse DEUS, que me amparou num momento que o chão desapareceu e eu tive a certeza que ele me levou nos braços numa estrada longa e sem fim para ver meu tesouro que tinha sofrido um acidente grave no interior da Paraíba.

Nas quadras ou no mar , ele está sempre em harmonia com o esporte

Nas quadras ou no mar , ele está sempre em harmonia com o esporte

Muitos parentes e amigos se mobilizaram numa corrente de oração para ele se recuperar, mas quem esteve permanente na evolução, desde o resgate, exames, cirurgia e reabilitação, sabe que a cada avanço, uma prova de amor vinha, uma prova de que milagres existem e ele é um testemunho vivo e feliz desse milagre, completamente sarado e sadio.

miro-surf-2

O detalhe do Espírito Santo no alto da cabeça de Cassimiro. Esse é um sinal.

Essa história aconteceu com Cassimiro, um dos meus tesouros que Deus me deu. Ele teve fé, disciplina e determinação. Ainda contou com Amor de todos que cuidaram e acreditaram que ele voltaria a fazer o que motivava ele a viver, o surf. Quem diria que, depois de uma cirurgia de fêmur e dois braços com polifratura ele abraçaria a prancha após quatro meses? Não foi fácil. Sair de uma cadeira de rodas, fazer fisioterapia por três horas diárias, alimentação equilibrada, e ter em mente um objetivo. Voltar a surfar e a jogar tênis e futebol.

Para quem o conhece pessoalmente, sabe de sua paixão pelo esporte. E é disso que precisamos para fomentar nossa existência, motivo para continuar a viver a vida bem vivida. A mente nesses momentos é uma traiçoeira, os sabotadores de endorfina ficam de plantão para atormentar. Vi, em muitos momentos, nesses meses de recuperação, um olhar perdido, sem luz, sem brilho. Mas, a grande força de Deus que não deixava ele esquecer de uma batida frontal de um  carro pequeno (o dele), contra uma camionete; um capotamento com princípio de incêndio; um resgate em um açude seco com paredes difíceis de amparo; a viagem do local de Pombal/PB para João Pessoa; o socorro na urgência; as cirurgias; a reabilitação; tantas pedras no caminho para ele driblar que o comando da cabeça. EU QUERO, EU CREIO, EU POSSO tinha que estar ligado permanente em forma de amor e prece.

Hoje é o dia do aniversário de 6 anos. Um dia de muita gratidão para os familiares, a desconhecidos, médicos, enfermeiros, acompanhantes anônimos que dividiram suas dores nas eternas horas de hospital; aos amigos que chegavam e fizeram um verdadeiro mutirão de amor, um plantão noturno de brincadeiras para ele enxergar o quanto é querido, amado e abençoado.

trio

O irmão José Eduardo que também se apzixonou pelo esporte e o pai do coração, André, referência para a prática do surf

A prescrição médica existe para ser seguida. Ele cumpriu sem questionar, resignado em sua condição física. A coragem de vencer e de melhorar como pessoa também. Mas a grande prova é a da FÉ. Em meio ao desespero de perder meu filho, eu chorava muito, mas o Espírito Santo mandava uma força que só quem sente é quem  entrega e confia. Minha mensagem hoje é para que todos não percam a fé, a coragem e o amor. Amor incondicional não só pelos filhos, mas para todos que precisam de uma palavra, de uma atitude.

Destaco também o quanto o esporte, como é importante na vida das crianças. Cassimiro sempre praticou natação, basquete, futebol e começou a surfar bem cedo, aos 6 anos. Sempre muito ativo e cheio de energia. Esse foi o melhor investimento que fiz, motivar e levar para os treinos e competições desde o tempo de HC e Marista.  Essa condição de atleta, ajudou muito durante o tratamento, uma vez que fez jejum sem sofrer, e as cirurgias foram num espaço de tempo curto pela resposta física e orgânica. Depois, o sonho de voltar a surfar e a jogar. A primeira partida de tênis com o médico que o acompanhava, foi uma emoção tão grande que não conseguia fotografar de tanto chorar. E ganhou bravamente e sem dor, “Meu medo era que as placas e os parafusos saíssem pelos músculos”, tal  minha aflição.

Nesse mundo que precisamos sempre estar perto de quem nos faz bem, mas também de fazer o bem a quem não tem e precisa, necessitamos de depoimentos positivos para seguir em frente, de louvar e agradecer.

As experiências científicas são divulgadas como prova da sabedoria humana e os depoimentos de pessoas que passaram por situações de doença e cura também devem ser propagados para sacudir e acordar. Cientificamente os médicos já se rendem para o poder da fé. O desequilíbrio emocional torna o mundo doente. Precisamos crer no poder da oração, da resiliência e da fé.

Cassimiro tem 33 anos completos em 30 de setembro, desses, 6 anos que Deus mostrou e provou que existem milagres e me deu um presente lindo para eu sorrir e cantar como eterna aprendiz.

 

 

 

 

 

Tags:, , , , ,

Ponto Cruz! Um dos segredos de dona Hozana em chegar aos 91 anos de bem com a vida.

  Viver muito todos querem. Chegar bem é privilégio dos que se cuidam diariamente, sem exagero e com simplicidade.

Entre meadas de linhas, peças de bico bordado, uma máquina de costura e um pôster que emoldura a parede de um quarto com menos de três metros quadrados é o lugar onde vive  dona Hozana Soares de Medeiros, 91 anos,  feliz e grata a Deus por ainda conseguir bordar e fazer seus trabalhos manuais que, por algum tempo, serviu de renda extra para ajudar nas despesas de casa e hoje é o elixir de sua longevidade.20160830_152741

Natural de Montanhas, interior do Rio Grande do Norte, ela exibe com orgulho  seu quarto/ateliê, apesar de pequeno, cada coisa tem seu canto, e, em cada canto, uma marca de uma senhora simples e realizada com a vida.

Dona Hozana lembra com saudade de seu marido, João Marques, viúva há 30 anos. Eles vieram para Natal em 1960 para montar um comércio de variedades no Alecrim, a ‘Casa Marques’. “Trabalhamos muito e meu interesse pelos trabalhos manuais começou para ajudar nas despesas e também para presentear a família. Fazia cursos oferecidos pelos Clubes de Mães e vi que tinha talento” relata.

João era viúvo e pai de quatro filhos quando casou com Hozana e ainda tiveram sete filhos. Num total de 11 criados por ela  e hoje responsáveis pelos  30 netos e 15 bisnetos. Com um  sorriso de quem ainda tem uns 50 anos pela frente, ela afirma que a paciência é um dos segredos por celebrar mais de nove décadas de vida.  “Desejar o bem às outras pessoas também faz muito bem ao coração” completa a receita. Apesar de diabética, ela diz que isso não atrapalha em nada, mantém com controle e cuidado as taxas para não extrapolar. E assume “De vez em quando ainda provo um pedacinho de bolo, não como carne vermelha e as noites me rendo à uma coalhada”. Nunca se alimenta tarde e já fez muitos exercícios, dando preferência à hidroginástica que foi a última atividade.

Vaidosa, ela exibe o avesso de sua última encomenda, duas toalhas bordadas em ponto cruz com um acabamento perfeito, sem nenhum fio solto ou mal teravessominado e, quando recebe elogio, diz com simplicidade que é pela visão privilegiada, depois de ter feito a cirurgia de catarata.

As almofadas feitas de tranças de fitas de cetim expostas em seu sofá da sala é motivo para arrancar um sorriso  pela satisfação de ter enviado algumas peças para decorarem as casas de parentes na Itália, Rio Grande do Sul e em outros lugares de Natal.

Professora

A habilidade é referendada por Vancy Bezerra, costureira aposentada e vizinha de apartamento. Após descobrir  que dona Hozana fazia tão hozana e vancybem o bordado, pelo menos três vezes por semana ela vai ouvir as explicações  e as avaliações da ‘Mestra’. Perguntada pela ideia de ser professora nessa altura da vida, a idosa rir e responde com humildade “Ela é interessada e aprendeu muito rápido todos os pontos”, além da prosa regada a um bom café, as duas passam horas escolhendo pontos e linhas para começar o trabalho.

Mudança

Dona Hozana mora com a filha Edna Medeiros e uma das netas Gisely num prédio de vinte andares na Zona Sul de Natal. A família mudou de uma casa no bairro em Neópolis, espaço bem maior, mas por uma questão de segurança optou por cômodos menores. Elevador e a altura do prédio eram temidos pela filha por ser fatores que geralmente alteram o comportamento dos idosos. “Mas ela já está adaptada e não reclamou de nada” declara  Edna. A presença constante dos filhos e as visitas de amigos à dona Hozana, não deixaram-na ter saudades da outra moradia. O segredo da longevidade está também no desapego, na alegria e na disposição para as mudanças, ressalta.

Rotina

“Acordo cedinho e já vou rezar o terço. Depois tomo café e vou fazer meus trabalhos manuais. Procuro ativar o cérebro com pensamentos positivos, me concentro no que tenho para fazer, e é isso que me dá prazer. Tenho uma visão muito boa e isso ajuda muito” afirma.

“Gosto de sair, viajar e visitar meus filhos, netos e sobrinhos e, quando preciso comprar os pertences para produzir meus trabalhos, chamo por um  filho para me levar no Alecrim, faço questão de escolher tudo” relata a senhora que, entre um clique e outro, vai contando suas lembranças.

Sempre de bom humor e animada para as festas em família, ela mostra, em seu aparelho celular, as fotos tiradas no final de agosto, no casamento da sobrinha. A imagem com os noivos, mostra o bom gosto para se vestir e a satisfação de estar presente nas celebrações em família.  D. Hozana faz questão de comparecer a todos os convites que recebe e também ajuda  na decoração quando é solicitada A próxima já tem data marcada. O aniversário de dos dois anos de sua bisneta será em outubro e as lembrancinhas das mesas já estão a todo vapor.20160830_153109

Mas, as encomendas são poucas, o ritmo é outro e, como a família cresceu muito, o sorteio foi a solução encontrada para satisfazer a todos.  Exemplo disso, no dia dos pais, bordou uma toalha e  sorteou entre os filhos.

Vida

Dona Hozana teve dificuldades em sua vida, perdeu um filho e enfrentou outros problemas inerentes a quem está vivo, mas o recado dado pela entrevistada é bastante claro, a resiliência frente à cada provação, sem dúvida, vem da fé em Deus e do equilíbrio emocional. Não adianta perder a calma e nem complicar. Bons hábitos alimentares, exercícios físicos e mentais também levam à uma boa qualidade de vida.

Deixe seu comentário.

 

 

  • familia
  • hozana com celular
  • hozana e vancy
  • máq costura
  • avesso

Tags:, , , , ,

Viva o dia de hoje intensamente. A vida é preciosa e uma dádiva de Deus. O bom dia por Albany Dutra está no ar…

Tags:, , , ,

A história emocionante de uma paciente de câncer que teve o Crochê como um forte aliado para sua recuperação.

agnes1A sentença de morte para quem é surpreendido com um diagnóstico de câncer é superada a partir de relatos de pessoas que ficaram boas e levam uma vida normal – até mesmo melhor – depois de curadas. O impacto é aterrorizante e muitos falam do filme da vida que vem na mente, os desejos não realizados, os projetos de vida deixados para depois.  Mas, para muitos que têm fé, condições de bancar e levar o tratamento a sério; e têm o apoio que necessita, não só assistência médica, mas da família e amigos, fazem da trajetória da cura uma descoberta para uma nova vida e são exemplos para quem acha que não tem jeito e perde a esperança.qui,io

A história a seguir é de uma amiga de Escola Doméstica que descobriu um forte aliado, um companheiro para seu tratamento e, já se prepara,  para, agora na fase de controle, empreender na área do artesanato, graças à sua coragem e resiliência.

Para a corretora de imóveis, Agnes Dieb Ubarana, 55 anos, divorciada,  mãe de Bárbara, 30, e Ari Filho, 27,  foi bem assim. Após o anúncio do médico responsável pelos exames e à perspectiva do tratamento a ser enfrentado para a retirada dos linfonodos de sua mama direita, ela pensou no desejo de lutar para ficar boa, sem pensar nos males da doença. “Isso fez uma diferença muito grande, pois sentimentos negativos não me deixaram ficar triste e nem revoltada”, conta.

Durante o tratamento, apesar de tortuoso, Agnes nunca deixou se abater pela depressão. Iniciou o ciclo da quimioterapia, depois veio a cirurgia e, por último, a radioterapia, totalizando um ano da fase mais pesada do tratamento. Todo o processo foi acompanhado pela mastologista  Ana Susy de Góis Cruz, além de uma equipe médica super empenhada na resposta positiva do seu organismo frente às sessões semanais ou mensais de medicação.  “Sou muito grata à minha irmã Adélia e aos meus filhos que não me deixaram sozinha por um segundo. O amor é o melhorremédio nesses momentos”, desabafa.

Agnes e seu filho Ari. Emoção na parceria da cabeleira raspada.

Agnes e seu filho Ari. Emoção na parceria da cabeleira raspada.

Um dos momentos mais marcantes para a maioria dos pacientes que se submetem à quimioterapia é a perda dos cabelos, mas Agnes encarou com naturalidade.  “Comigo não foi diferente, quando me disseram que iria cair, antecipei e raspei logo a minha cabeça e, para minha surpresa, meu filho raspou também a dele para me encorajar e fazer companhia”.

Mas, entre tantas fases a serem vencidas, precisava ocupar a cabeça com alguma coisa que a deixasse bem, com pensamentos positivos. Ela fazia questão de preparar sua própria alimentação, pois assim trabalhava com a cabeça e as mãos, já que não podia sair de casa devido ao tratamento.

primas

As ‘Diebs’: Yamna, Agnes, Adélia, Angela, Ana Helena e Tueta.

E nesse tempo de reclusão, envolta pelas lembranças de sua mãe, veio o crochê. “Entre meus 7 a 8 anos, ela me ensinou a brincar de fazer o trabalho manual. Contava os pontinhos e fazia as peças para orgulho e descanso dela, me entretia” relata.  Era uma forma que Dona Marili encontrava de deixar a menina quieta.  O crochê também foi disciplina na Escola Doméstica, na 5ª série, quando tinha uns 11 anos,  recorda com muito orgulho que, à época, até ensinava  às colegas o jeito simples de fazer. Hoje, apesar de a mãe estar ausente, o crochê voltou à cena, agora, protagonista de uma história de superação. “Ele foi e é meu elixir. Nas salas de espera das quimioterapias, na recepção das clínicas dos médicos, em casa, e nas reuniões semanais entre ‘As Diebs’ – um grupo formado por primas que mesmo antes da minha doença, se reunia para conversar -, o crochê é  o destaque” conta.

Nessa nostalgia reencontrou a agulha e a linha e iniciou sem pretensão, a produção das peças. Sapatinhos para bebês, blusas e panos de mesa já recebiam muitos elogios da família que a encorajava.  E foi nos preparativos para o natal e com o desejo de presentear a sobrinha  Marina, que encarou seu primeiro desafio. “Fiz três vezes uma saída de banho para acertar” relatou Agnes. ‘Ficou muito bonito e aprovado por todos e por Marina”, finalizou.  Depois, a produção cresceu e fez a artesã acreditar que um ponto é capaz de desfazer os nós que tentam povoar em nossas mentes.

Assim,  Agnes que atualmente está encerrando o ciclo de vitaminas injetáveis, irá continuar o tratamento via oral por cinco anos e também faz planos para se aperfeiçoar à técnica do crochê. Ela já enxerga a atividade como uma fonte para sua subsistência e também para suas novas amizades feitas a partir do trabalho.  Já está se profissionalizando através de um curso do Sebrae no qual deverá abrir portas para comercializar as peças. Agnes  também sentiu a necessidade de fazer seu perfil nas mídias sociais e, aos poucos, vai expondo o seu material  feito com muito amor e responsável  pela sua recuperação.

Mas, a lição que tiramos dessa história de Agnes é que não sabemos da força e da capacidade que temos frente à uma situação, estamos sempre nos descobrindo e nos reinventando a partir de uma mudança que muitas vezes atropelam a  vida em um segundo, a partir de um resultado de um exame.  E o autoconhecimento é um ponto destacado por essa amiga que, no silêncio entre  fazer um ponto de crochê construiu uma parceria que a motivou a continuar seus sonhos e a alegria de viver, fora a fé em Deus, ponto de partida para tudo em sua vida.

Contato para encomenda:

Instagram @agnesdieb

Facebook  Agnes Dieb Ubarana

Contato:  99987 9870

 

 

 

  • agnes2
  • sapato
  • filhos
  • banho

Tags:, , , , , ,